Pular para o conteúdo

No emocionante confronto entre Corinthians e Estudiantes de La Plata, a trave salva a equipe corinthiana, que se classifica na disputa de pênaltis. 

  • por

No emocionante confronto entre Corinthians e Estudiantes de La Plata, a trave salva o Timão, que se classifica na disputa de pênaltis. 

Anúncio

(Imagem/ Twitter Corinthians)

O Corinthians garante sua classificação para as semifinais da Copa Sul-Americana após um jogo totalmente controlado pelo Estudiantes, a equipe comandada por Luxemburgo tinha a missão de ir à Argentina com a vantagem de 1 a 0 do primeiro jogo, porém, no primeiro minuto de jogo, depois da troca de passes do time argentino resultar em um cruzamento, a bola sobra na área para Mauro Méndez abrir o placar e desfazer a vantagem corinthiana.  

Anúncio

Com o alvinegro paulista atordoado pós gol, o Estudiantes seguiu na pressão em busca de reverter o placar agregado, foram 11 chutes à meta do Cassio, exigindo diversas defesas espetaculares, e, quando não conseguia chegar na bola, a sorte alvinegra contava com a trave para salvar. 

No segundo tempo a dinâmica da partida seguiu a mesma, Estudiantes na pressão e um Corinthians perdido nas ações. Com pouca criatividade no meio de campo e pouca melhoria do time nas substituições, coube para a equipe segurar os ímpetos argentinos e levar a partida para a disputa de pênaltis 

Nas cobranças, a estrela de Cássio brilha mais uma vez defendendo o pênalti de Rollheiser, Giuliano, que entrou no segundo tempo, desperdiça sua cobrança, dando traços maiores de tensão à disputa. E, após a trava salvar nos pênaltis de Lollo e Ascacíbar, o Corinthians consegue a classificação para as semis. 

O Timão aguarda agora a definição entre Fortaleza e América-MG para ver quem vão enfrentar na próxima fase da Sul-Americana. 

A posse de bola foi um fator determinante no desenrolar da partida. O Estudiantes de La Plata dominou nesse aspecto, mantendo 64% de posse, o que lhes permitiu controlar o ritmo do jogo e impor sua maneira de jogar. Esse domínio na posse de bola permitiu ao Estudiantes criar oportunidades constantes de ataque e construir jogadas de forma mais consistente. 

Por outro lado, o Corinthians, com 36% de posse, viu-se em uma posição defensiva por boa parte do jogo. Eles provavelmente optaram por uma abordagem mais reativa, buscando se aproveitar de contra-ataques e jogadas rápidas para tentar surpreender o Estudiantes. 

Quanto às finalizações, os números são bastante desiguais. O Estudiantes registrou um impressionante total de 30 finalizações, demonstrando sua agressividade em buscar o gol. Esse volume significativo de chutes à meta adversária sugere que o Estudiantes estava determinado a pressionar o Corinthians e explorar suas oportunidades de marcar. 

O Corinthians, por sua vez, teve um número muito mais modesto, com apenas 7 finalizações. Isso pode indicar que eles encontraram dificuldades em criar oportunidades claras de gol contra a defesa bem-organizada do Estudiantes. Também pode refletir a abordagem mais cautelosa do Corinthians, focando em aproveitar momentos específicos para atacar. 

O aspecto do número de passes também reflete a abordagem de cada equipe. O Estudiantes de La Plata demonstrou um estilo de jogo mais paciente e de construção, registrando um total de 622 passes. Isso sugere que eles priorizaram a troca de passes para criar espaços e oportunidades de ataque. A alta quantidade de passes também pode estar relacionada ao controle da posse de bola que eles mantiveram. 

O Corinthians, por sua vez, fez 368 passes. Embora tenham menos posse de bola, o número de passes ainda é relativamente alto, o que pode indicar uma abordagem de manter a posse quando possível e tentar construir jogadas, mesmo que em menor volume do que o Estudiantes. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0